… nossa professora de cuidados com a natureza ; nossa Amiga ! Há um caudaloso rio que corre pelo céu em direcão à Amazônia que é vital para a continuidade da vida como a conhecemos no nosso continente .Marina Silva nossa querida Senadora e candidata vilipendiada nas eleicões que findaram com a reeleicão da mentirosa ,… nos revela o mecanismo que produz essa notável maravilha da natureza que usamos para levar nossa vida Nacional para frente ! Entendemos então sua preocupacão com esse mecanismo natural que está ameacado pelo consumo devastador dos madeireiros e agro/pecuaristas . Com a palavra a nossa Professora de ambientalismo :

Marina Silva

A bomba biótica da Floresta Amazônica funciona como o coração do ciclo hidrológico e sistema circulatório na América do Sul. Temos dois corpos de água, o oceano azul, que já conhecemos, e o oceano verde, a floresta. A transpiração da floresta é tão grande quanto a do oceano, mas a condensação de nuvens na floresta é muito maior por causa do "pó de pirlimpimpim" (como chamou o professor), que são as partículas de odores das plantas que estão no ar! Essas  partículas são atraídas por água, ou seja, buscam móleculas de água no ar e se juntam com a umidade da transpiração das árvores (que o professor chama de "geisers da floresta") formando nuvens! Porque a condensação é maior na floresta, a pressão abaixa e puxa o ar úmido do oceano. Eis a bomba biótica. Daí a Amazonia envia essas nuvens em forma de rios voadores para o sul do continente. Se os familiares rios são análogos às veias, que drenam a água usada e a retornam para a origem no oceano, os rios aéreos são as artérias, que trazem a água fresca, renovada na evaporação do oceano.

A bomba biótica da Floresta Amazônica funciona como o coração do ciclo hidrológico e sistema circulatório na América do Sul. Temos dois corpos de água, o oceano azul, que já conhecemos, e o oceano verde, a floresta. A transpiração da floresta é tão grande quanto a do oceano, mas a condensação de nuvens na floresta é muito maior por causa do “pó de pirlimpimpim” (como chamou o professor), que são as partículas de odores das plantas que estão no ar! Essas partículas são atraídas por água, ou seja, buscam móleculas de água no ar e se juntam com a umidade da transpiração das árvores (que o professor chama de “geisers da floresta”) formando nuvens! Porque a condensação é maior na floresta, a pressão abaixa e puxa o ar úmido do oceano. Eis a bomba biótica. Daí a Amazonia envia essas nuvens em forma de rios voadores para o sul do continente. Se os familiares rios são análogos às veias, que drenam a água usada e a retornam para a origem no oceano, os rios aéreos são as artérias, que trazem a água fresca, renovada na evaporação do oceano.

: