Serra cresce mais que Dilma na ‘largada’ do 2º turno

Datafolha: a petista  soma agora 54% dos votos válidos

Está 8 pontos à  frente do  adversário tucano, com  46%

Em relação à apuração do TSE,  Dilma  cresceu 7  pontos

Cotejado com a votação oficial, Serra cresceu 13 pontos

Felipe Dana/AP

Saiu o primeiro Datafolha do segundo turno. Indica que, na virada da primeira para a segunda fase da disputa, José Serra conquistou mais votos do que Dilma.

Segundo a pesquisa, Dilma dispõe agora de 54% dos votos válidos (a conta exclui os brancos, nulos e indecisos). Serra amealha 46% das intenções de voto.

Tomados pelos dados oficiais da Justiça eleitoral, Dilma emergiu das urnas do primeiro turno com 46,9% dos votos válidos, contra 32,6% de Serra.

Cotejando-se os votos da primeira fase com as intenções de voto da segunda, Dilma registra crescimento de 7,1 pontos percentuais.

Quanto a Serra, avançou na pesquisa 13,4 pontos em relação ao percentual de votos que extraiu das urnas recém-abertas.

Dito de outro modo: considerando-se o tamanho que exibiam depois da contagem das urnas, os dois candidatos cresceram. Porém…

Porém, Serra cresceu 6,3 pontos a mais que Dilma. Por quê? A principal explicação parece vir do espólio de Marina Silva.

A candidata verde amealhou no primeiro turno 19,3% dos votos válidos. Coisa de 19,6 milhões de votos.

Pois bem. Segundo o Datafolha, Serra tornou-se o principal herdeiro dos despojos eleitorais de Marina.

Nada menos que 51% dos eleitores de Marina declaram agora que votarão em Serra. Apenas 22% dizem preferir Dilma.

Nesse universo de eleitores de Marina notáveis 18% migraram para a coluna dos indecisos. Sinal de que uma palavra da candidata pode ter algum peso.

É grande o percentual de eleitores de Marina que migrouaram para a coluna dos indecisos: 18%.

Na conta que inclui a totalidade dos eleitores, Dilma prevalece sobre Serra nesse Datafolha por 48% a 41%. Diferença de sete pontos.

Em pesquisa divulgada na véspera do primeiro turno, o Datafolha esboçara o cenário do segundo turno.

Nessa sondagem, Dilma aparecia com 52%. Serra beliscava 40%. Comparando-se com a pesquisa atual, Dilma recuou quatro pontos.

Serra oscilou um ponto para cima. A margem de erro das duas pesquisas é de dois pontos percentuiais, para mais ou para menos.

No confronto direto entre os dois candidatos, cada voto perdido por um dos postulantes é acrescido ao cesto do rival.

Significa dizer que, para alcançar Dilma, Serra precisa “roubar” dela algo como quatro pontos percentuais. Difícil, mas não impossível.

É preciso saber agora se o crescimento de Serra é uma tendência ou mera acomodação do eleitorado.

Neste domingo, os dois candidatos realizam, na TV Bandeirantes, o primeiro debate cara a cara.

Embora engessado pelas regeras impostas pelos marqueteiros, esse tipo de evento ganhou especial relevo.

– Siga o blog no twitter.

Escrito por Josias de Souza às 19h06