Ou esta mentindo e cometendo um estelionato eleitoral , ou dizendo a verdade e traindo seus companheiros … ou então, é irresponsável pois assina sem ler ! No futuro não verá , não ouvirá nem quererá saber de coisa alguma que aconteça ao seu redor como faz seu tutor … são realmente parecidos : o criador e a criatura se merecem .

por e-mail | Permalink

Bispo de Guarulhos mantém na web vídeo anti-Dilma

Alheio aos desmentidos de Dilma Rousseff, o bispo Luiz Gonzaga Bergonzini, responsável pela Diocese de Guarulhos (SP), mantém na internet um vídeo que associa o PT e sua candidata ao aborto.

A gravação foi levada ao ar, no Youtube, duas semanas antes do primeiro turno da eleição, em 17 de setembro.

O link que conduz à peça foi acomodado na página da Diocese de Guarulhos (SP), sob o título “Vida, Aborto e Eleições 2010″. Continua lá, a despeito do esforço de Dilma para se dissociar do aborto.

“É muito importante nós conhecermos os candidatos, os seus pensamentos, as suas convicções religiosas e humanas”, diz o bispo Bergonzini no vídeo.

“Estamos atravessando em nossos dias um problema muito sério, que é o problema da liberação do aborto, um atentado contra a vida de inocentes”.

Sem mencionar o nome de Dilma, o bispo acrescenta: “Infelizmente, nós temos candidatos que apoiam a liberação total do aborto…”

“…Eu não vou dizer nomes, porque vocês sabem muito bem a quem eu estou me referindo”.

Bergonzini apela aos valores religiosos do rebanho: “Se nós realmente somos cristãos, católicos, se nós seguimos Jesus Cristo…”

“…Não podemos votar nesses candidatos. Ao contrário, devemos até alertar pessoas de nossas relações para que não cometam esse erro”.

Noutro trecho, o Bergonzini aproxima sua pregação de Dilma: “Vou citar aqui um partido, porque ele mesmo legisla sobre esse assunto…”

“…Obriga a todos aqueles que se filiam a esse partido, que é o Partido dos Trabalhadores, o PT, a se comprometerem a seguir religiosamente as normas, […] as conclusões de congressos que eles realizam…”

“…Entre essas conclusões está a abrigação das pessoas que são filiadas de obedercer todas essas normas. E entre essas normas está a liberação do aborto…”

“…Votando nessas pessoas nós estamos também apoiando a liberação do aborto”.

O PT atribui a realização do segundo turno, em parte, à pregação religiosa que associa Dilma à defesa do aborto. Nascida na internet, ganhou os templos.

Às vésperas do primeiro turno, Dilma reuniu-se em Brasília com duas dezenas de pastores e padres. Negou que seja a favor do aborto.

Trata-se de uma mudança de posição. Antes de virar presidenciável, Dilma defendia a legalização do aborto. Bergonzini parece descrer da conversão. Manteve o vídeo anti-Dilma na internet.

Permanece na página eletrônica da Diocese de Guarulhos também um texto que o bispo Bergonzini veiculara no final de julho.

Anota: “Na atual conjuntura política, o PT, através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos […] se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência”.

Nesta segunda (4), em nova entrevista, Dilma considerou-se alvo de uma “campanha perversa”. Difundem “inverdades sobre o que eu penso”, disse.

O comando da campanha petista decidiu priorizar no segundo turno a “desmontagem” do que chama de “onda de boatos”.

Para desassossego do QG de Dilma, a CNBB pendurou na sua página eletrônica um texto sobre a “Semana Nacional da Vida 2010”. Começou na sexta (1º) e vai até esta quinta (7).

Na sexta (8), a CNBB vai celebrar o “Dia do Nascituro”. O comunicado traz comentários do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família da CNBB.

Chama-se Dom Orlando Brandes. É arcebispo de Londrina (PR). Declarou: “A vida humana começa na fecundação, na concepção, no encontro do óvulo com o espermatozóide…”

“…O prodígio da vida é admirável, causa assombro, gratidão e reverência. Uma vez concebido, o ser humano tem direito à vida, aos cuidados de todos. Este ser humano tem o direito de nascer”.