Europeus descobrem menor planeta extrassolar já visto  

Pesquisadores europeus anunciaram nesta terça-feira (3) a descoberta do menor planeta extrassolar já visto –é "apenas" duas vezes maior que a Terra. A descoberta foi feita utilizando a sonda a sonda Corot, um projeto francês com participação do Brasil e de outros países.

O planeta, que recebeu o singelo nome de Corot-Exo-7b, é um tanto esquisito para os padrões dos extrassolares –planetas que não orbitam em torno do Sol e tem sua trajetória associada a outras estrelas. Isso porque a maior parte dos cerca de 300 planetas extrassolares detectados até agora são bem maiores e compostos principalmente por gás, como Júpiter e Netuno.

Divulgação

Imagem mostra o planeta Cotot-Exo-7b, que deve ser composto por rochas, lavas e vapor

Imagem mostra o planeta extrassolar Cotot-Exo-7b, o menor já visto, passando à frente de sua estrela

Já o Cotot-Exo-7b é provavelmente composto por rochas e água (provavelmente em forma de vapor, já que a temperatura local é de cerca de 1.000ºC), sendo coberto por lava. A órbita do planeta em volta de sua estrela dura 20 horas, que é o menor período já detectado para esse tipo de planeta.

Para "ver" o planeta, os pesquisadores analisam o brilho da estrela que é sua referência. De tempos em tempos, o planeta passa em frente à estrela, fazendo com que o astro fique ofuscado –nesse caso, a diferença era de 0,03%. A capacidade de detectar com precisão essas variações de luz é um dos grandes diferenciais dessa sonda.

"Nós conseguimos ver o planeta com o Corot porque a sonda está no espaço, sem atmosfera para atrapalhar as medidas", afirma Roi Alonso, do Laboratório de Astrofísica de Marseille.

A Corot (abreviação de Convecção, Rotação e Trânsito), lançada em 2006,tem como missão encontrar planetas pequenos e rochosos –parecidos com a Terra e capazes de abrigar vida– fora do Sistema Solar